Transferncia Medicina - 2022
    Vestibular Unificado 2022 - Unifipa
    Vestibular Medicina 2022 - Unifipa/Fameca
    Outubro Rosa e Novembro Azul - A cor muda, a luta no
    Curso de Extenso - Atualidades no Tratamento de Feridas
    Ps-Graduao Lato Sensu Unifipa 2021
    Direito Unifipa
    A Unifipa na palma das mos. Baixe agora o aplicativo EduConnect
    Unifipa entre as melhores. Nota 4 no MEC.
    Guia de retomada segura das atividades. Acesse e baixe o contedo.
    Manual do Mdico Residente - 2021/2022

Últimas Notícias

15
out

Editais para vagas de transferência para Unifipa Fameca são divulgados

          A partir de hoje, 15 de outubro, estão disponíveis os editais de transferência para o primeiro semestre de 2022 do curso de Medicina/ Fameca da Unifipa. As vagas são para 2º, 4º e 6º anos.    Segundo o edital, o início das inscrições será a partir do dia 26 deste mês e até 14 de dezembro. A aplicação das provas será em 15 de janeiro, com divulgação do resultado em 26 do mesmo.    As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, através do link www.vunesp.com.br. Para outras informações é possível entrar em contato com o Centro Universitário Padre Albino pelos telefones 0800-772-5393 e (17) 3311-3223, de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 21h00, ou pelo e-mail secretariaacademica@unifipa.com.br 
14
out

Técnica de Laboratório e docente da Unifipa participam de exame de qualificação para Doutorado

            A técnica do Laboratório de Imuno-Histoquímica do Serviço de Patologia do Centro Universitário Padre Albino/Unifipa Helena Ribeiro Souza e a docente dos cursos de Agronomia, Biomedicina e Medicina Sara de Souza Costa participaram de exames de qualificação para doutorado nos dias 02 e 03 de setembro. Ambas pertencem ao grupo de pesquisa coordenado pela Profa. Dra. Ana Paula Girol, sendo orientadas pela mesma junto ao programa de Pós-Graduação em Biociências da Unesp de São José do Rio Preto.                O trabalho acadêmico apresentado pela docente Sara de Souza Costa foi “Proteína anti-inflamatória Anexina A1 como alternativa terapêutica na uveíte autoimune experimental”, com exame realizado no dia 02/09, às 14h30, de forma virtual através da plataforma Google Meet. A Comissão Examinadora foi composta pela Profa. Dra. Ana Paula Girol, orientadora/Unifipa; Profa. Dra. Cristiane Damas Gil, Departamento de Morfologia e Genética da Universidade Federal de São Paulo; Profa. Dra. Patrícia Simone Leite Vilamaior, Departamento de Ciências Biológicas da Unesp/Rio Preto. Suplentes: Profa. Dra. Ana Claudia Polli Lopes, Departamento de Biologia Molecular da Faculdade de Medicina de Rio Preto e Profa. Dra. Rejane Maira Goes, Departamento de Biologia da Unesp/Rio Preto.                A técnica Helena Ribeiro Souza apresentou o trabalho “Avaliação das propriedades cicatrizantes do extrato de Garcinia brasiliensis e modulação da proteína Anexina A1 em modelo de lesão cutânea” com exame no dia 03/09, às 9h30, virtualmente, também por meio do Google Meet. A Comissão Examinadora foi composta pela Profa. Dra. Ana Paula Girol, orientadora/Unifipa; Prof. Dr. Sebastiao Roberto Taboga, Departamento de Ciências Biológicas da Unesp/Rio Preto; Prof. Dr. Marco G. Alves, Unidade de Pesquisa Multidisciplinar em Biomedicina da Universidade do Porto/Portugal. Os suplentes foram Profa. Dra. Maria de Lourdes Gomes Pereira, Universidade de Aveiro/Portugal, e Profa. Dra. Carla Patrícia Carlos, Escola de Medicina/Faceres. 
14
out

Egressas de Enfermagem publicam artigo científico em revista da UEL

           Adriani Izabel de Souza Moraes, Tatiane Veterin Coneglian e Francielly Aparecida Correa Iembo, egressas do curso de Enfermagem da Unifipa publicaram, neste segundo semestre de 2021, artigo científico sobre qualidade de vida de pacientes em terapia de substituição renal em um hospital de ensino em revista da Universidade Estadual de Londrina (UEL), a SEMINA - CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE. O artigo teve orientação da Profa. Ma. Taís Pagliuco Barbosa, Prof. Me. João César Jacon e Profa. Dra. Maria Cláudia Parro.            O objetivo do estudo foi avaliar a qualidade de vida dos pacientes com insuficiência renal crônica no decorrer do tratamento hemodialítico, bem como as diferenças em relação ao sexo. O estudo descritivo e quantitativo foi desenvolvido no setor de Terapia Renal Substitutiva de um hospital escola, constituído por 78 pacientes. Como resultado, 51,3% estudados eram do sexo feminino e 48,7% do masculino, com 96,2% não possuindo vínculo empregatício. A pesquisa concluiu, então, que os pacientes em terapia de substituição renal têm qualidade de vida média.
13
out

Enfermagem da Unifipa realiza mesa redonda sobre Outubro Rosa

           Em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, Núcleo de Educação Permanente e Associação Mahatma Gandhi, as ligas de Oncologia, Materno Infantil e Saúde Coletiva do curso de Enfermagem do Centro Universitário Padre Albino (Unifipa) realizaram a ação “Outubro Rosa: Questões de Gênero no panorama da Prevenção do Câncer de Colo de Útero e de Mama”.               O evento aconteceu na última quinta-feira, dia 07 de outubro, às 19h00, através da plataforma Google Meet e via canal do YouTube. Aproximadamente 150 pessoas estiveram presentes no encontro online, prestigiando a mesa redonda que contou com nomes como Prof. Dr. Ayder Anselmo Gomes Vivi (médico e professor titular do Departamento de Cirurgia FAMECA-UNIFIPA. Mestre em Técnica Operatória pela Universidade Federal de São Paulo e doutor em Medicina pela Universidade de Federal de São Paulo), Profa. Dra. Paola Alexandria P. de Magalhães (enfermeira especialista em Terapia Intensiva pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, doutora em Ciências pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, professora doutora do curso de Enfermagem e Medicina da Unifipa) e Mário Quiudini Neto (discente do curso de Direito da Unifipa e integrante do projeto de extensão Direito e Sexualidade).               “Ao pensarmos no Outubro Rosa, devemos considerar a integralidade do cuidado da saúde e das questões de gênero. É importante voltarmos o olhar para as populações como a população LGBTQIA+, a fim de ampliarmos os espaços de discussão e políticas públicas que incluam esta população, principalmente no que tange à prevenção do câncer de mama e de colo de útero, considerando os aspectos físicos, psíquicos, sociais, espirituais e culturais, além de suas vulnerabilidades e das questões de gênero”, ressalta a coordenadora do curso de Enfermagem, Luciana Braz.