BIOCELULOSE NO TRATAMENTO DE QUEIMADURAS É TEMA DE PESQUISA NA UNIFIPA

Mauro Assi quinta-feira, 06 de dezembro de 2018

Enfermagem

A Liga de Curativos do curso de Enfermagem da UNIFIPA e as equipes médica e de enfermagem da UTQ (Unidade de Tratamento de Queimados) do Hospital Padre Albino tiveram estudos e conclusões médicas de casos clínicos de queimaduras na face publicados em site oficial da empresa "Nexfill: curativo de biocelulose". A publicação é fruto de parte dos resultados das atividades educacionais e de pesquisas desenvolvidas em parceria entre UNIFIPA-UNIARA-UNESP firmada no 2º semestre de 2018.

No total, três casos ganharam destaques com seus excelentes resultados em métodos empregados no atendimento, tratamento e cura de queimaduras faciais de primeiro e segundo graus pela equipe hospitalar da Fundação Padre Albino, que foram estudados por alunos e professores do Centro Universitário Padre Albino/UNIFIPA. As pesquisas iniciaram-se em 2018 durante as atividades extensionistas daquela liga acadêmica, com apresentação das conclusões em diversos eventos científicos.

Em uma das situações, o estudo envolveu uma criança do sexo feminino, com oito meses de idade, vítima de queimadura em face incluindo pálpebras, dorso nasal e linha do couro cabeludo por escaldadura (líquido superaquecido), totalizando 4% de superfície corporal queimada (SCQ), com profundidades variadas entre primeiro e segundo graus superficial e profundo. Após as avaliações das lesões, o corpo médico optou pelo uso da membrana de biocelulose como cobertura primária.

A membrana de biocelulose - película composta de fibras de celulose com estrutura nanométrica provenientes da síntese bacteriana, com média de 0,05mm de espessura, apresentou efeito benéfico favorecendo o processo de cicatrização de lesões originadas por queimaduras, reduzindo o tempo de internação e das trocas de curativos com reflexo na redução da dor e na qualidade de vida da criança.

Segundo a coordenadora do curso de Enfermagem da UNIFIPA, Profª Drª Maria Cláudia Parro, as pesquisas corroboraram no fornecimento de informações como base de comparação entre os métodos de tratamento existentes. “A membrana de biocelulose apresentou melhor custo-efetividade quando comparada a tradicionais métodos, justificado pela redução do tempo de internação e das trocas de curativos, com reflexo na redução da dor e na qualidade de vida da paciente”, explica.

Os demais casos clínicos tiveram como foco de estudos o âmbito perceptível, qualitativo e financeiro com as pesquisas “Diagnósticos de enfermagem do domínio autopercepção em paciente com queimadura na face” e “Cobertura de biocelulose utilizada no tratamento de queimaduras – um estudo do custo-efetividade”.

Foto: Integrantes da Liga de Curativos do curso de Enfermagem da UNIFIPA.

 

 

 

 

Galeria


CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO - UNIFIPA